Acampamento de Jesus

Pouco se falou aqui no Brasil sobre o documentário Acampamento de Jesus, e dificilmente ele terá uma grande atenção da mídia, mesmo dizendo o que muitos precisam escutar. Ele concorreu ao Oscar de melhor documentário e, provavelmente, seria o vencedor, não fosse a presença de Al Gore e seu Uma Verdade Inconveniente entre os indicados.

O filme, dirigido por Heidi Ewing e Rachel Grady, fala sobre o crescimento de um grupo evangélico nos EUA que não tem nenhum pudor de confundir religião e política. O grupo, que vê o presidente George Bush como um grande ídolo, divulga em suas reuniões e missas a importância de votar em candidatos indicados por eles para que a religião se fortaleça e, assim, Deus consiga vencer o diabo.

O mote principal do documentário é um acampamento onde se doutrinam a crianças a se tornarem mini-pastores. É assustadora a forma como os argumentos são colocados. No acampamento, as crianças são forçadas a acreditar que Deus quer que elas passe sua palavra aos outros – leia-se: ficar pregando por todos os lugares em que estiver – e que, se eles quiserem ter uma vida normal de criança ao invés de tentar convencer seus amigos a entrar no mesmo transe em que são colocados, é porque eles estão dominados pelo diabo e irão todos para o inferno.

Assim como o colega famoso, Uma Verdade Inconveniente, Acampamento de Jesus também fala sobre o aquecimento global, porém não se atém somente neste tema. O assunto é falado de uma forma bem rápida, e pode servir como um complemento para o documentário de Al Gore. Na cena, uma mãe que não confia em escolas e professores, ensina o filho em casa. Ao questioná-lo sobre o aquecimento, ele responde que é uma bobagem, assim como o ex-futuro presidente diz que acontece.

Mais do que um filme sobre um isolado grupo cristão, Acampamento de Jesus é sobre uma direita radical liderada por George Bush que se nega a aceitar fatos que vão contra seu governo. Diferente de Al Gore ou de Michael Moore, as diretoras optaram por mostrar o suposto inimigo de uma forma bastante crua, e não simplesmente recheá-lo de críticas. Um filme que merece um pouco mais de atenção.

    • Talita, Tata, Tá…
    • 20 março, 2007

    Alguém voltou a postar? rs
    Já está linkado Ravi!!!
    Beijos

    • Samarone
    • 13 setembro, 2007

    Estamos em semana teologica e um dos pontos de discussão sobre este documentario a qual vamos dialogar com este tradicionalismo cruel. E por que sera que a midia não fala sobre o tema do filme.

    • marco
    • 6 maio, 2012

    Muito bom! Encontrei esse documentário em um blog, e vou baixá-lo. Ele não é divulgado na mídia, mas do “youtube” ou do “google” ele não escapa! Ainda bem que temos a internet!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: