Os Simpsons – O Filme

simpsons.jpg 

Uma série de televisão não tem um porquê de ser adaptada para o cinema. Os meios são diferentes, as linguagens diferentes, a adaptação raramente é bem sucedida. Mesmo assim, existem produtos que, mesmo não perdendo seu caráter original, são prazerosos em suas versões cinematográficas. Um claro exemplo disso é Os Simpsons – O Filme. Não há como negar que se trate de um episódio de uma hora e meia de duração. Mas quem se importa quando o resultado é de ótima qualidade, mesmo comparando com o próprio desenho?

Claro que o longa-metragem tem suas grandiloqüencias, para justificar sua mudança de perfil. Isto já fica claro com a presença do Ralf no símbolo da Fox, logo no início do filme. Além do envolvimento de toda Springfield, e até do presidente da república, no episódio. Porém, a mudança mais marcante neste sentido, é a importância que uma rotineira e, por vezes apagada personagem ganha. Maggie, mesmo não aparecendo tanto na história, é peça fundamental, além de render algumas cenas hilárias.

Apesar do incrível resultado nas telonas, houve uma certa decepção para quem acompanhou os últimos pronunciamentos de Matt Groening, criador da série. Segundo ele, os ambientalistas e os religiosos, em geral, iriam se ofender muito com a obra. Sim, há diversas piadas que atacam os dois grupos, mas nada que chegue a causar grandes desagrados. Apenas uma cena envolvendo a Bíblia pode criar maiores polêmicas. Para os defensores do planeta, os ataques são menores que à política americana, por exemplo. A mais notável das cenas cômicas no sentido, não gera um ataque, apenas rememora um certo músico irlandês.

Além disso, Groening afirmou que a grande maioria das cenas mostradas nos trailers não estava na versão final da fita. Quem se desanimou com a afirmação pode ficar tranqüilo, as cenas estão lá. E, por incrível que possa parecer, todas fazem sentido no contexto do filme. A grande diversidade de cenários, personagens e situações, talvez seja o que mais destoa da versão televisiva. Praticamente todos os personagens estão presentes, em pequenas proporções, com direito a uma chocante morte, já anunciada. Além, claro, das participações especiais de Tom Hanks e do Green Day.

Desta forma, o fato de não fugir muito do que já faz há quase vinte anos é o que justamente faz com que Os Simpsons – O Filme acabe se superando e se torne um dos grandes lançamentos no cinema em 2007. Não só pela espera e ansiedade, mas pelo produto final, com um roteiro engraçado e bem amarrado. A história do filme… Bem, quando se assiste a um episódio na televisão, não se costuma saber sobre o que é. Basta sentar em frente a tela e deixar que Bart e sua família os guie pelos próximos minutos. E assim deve ser.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: