Inimigos Públicos

Para contar a história de um dos mais procurados gangsteres norte-americanos, o diretor Michael Mann, de Ali e Miami Vice, ousou em buscar novos recursos de fotografia, filmando em digital. Mesmo sendo um filme de época, o que poderia criar certo estranhamento do espectador, Inimigos Públicos foi captado por câmeras de alta definição em um projeto inédito. O resultado, porém, ficou bem aquém do que poderia ter sido obtido com uma câmera 35 milimetros.

A história ainda prende a atenção, mesmo em seus 140 minutos de filme. John Dillinger, interpretado por Johnny Depp em um de seus poucos papéis realistas, é um grande ladrão de bancos procurado pela agência de investigação comandada por J. Edgar Hoover, que até então, nos anos 30, ainda não é o famoso FBI. O criminoso, que aprendeu tudo o que sabe em nove anos que passou na prisão, era o terror dos bancos, mas um herói para a população norte-americana na época. Após a crise de 29, o povo culpava as instituições financeiras pelo caos. Ao mesmo tempo, Dillinger se negava a roubar de civis, apenas destes grandes bancos.

Conquistando a simpatia do povo, aliado a sua inteligência, o gangster era praticamente intocável. Nas poucas vezes em que era pego pelos policiais conseguia escapar com certa facilidade, para total desagrado de seu arquiinimigo, o agente Melvin Purvis, papel de Christian Bale. Enquanto foge do encarregado pela inteligência de Chicago, Dillinger conquista o coração da jovem Billie, uma moça simples e rejeitada pela sociedade, vivida por Marion Cotillard. A paixão entre os dois, apesar de humanizar ainda mais o personagem, indica sua maior fraqueza.

Na verdade, não era bem assim que as coisas aconteciam. A vida não é um filme, Dillinger não era tão santo quanto nas telas, e Purvis também não tão bem cotado. As liberdades poéticas acontecem a todo momento. No longa, Melvin é designado a prender Dillinger após matar um grande gangster, Pretty Boy Floyd, que na vida real morreu depois do próprio Dillinger. Este e outros casos que diferem da realidade, acabam não prejudicando o entendimento do personagem e da consolidação do FBI, apesar de esta história ficar como um pano de fundo praticamente distante.

O problema vem mesmo com as imagens que Inimigos Públicos apresenta. Com câmeras digitais, e a liberdade de movimentos que elas proporcionam, o filme chega a assemelhar imagens documentais, ou até mesmo às amadoras dramatizações comuns em programas jornalísticos policiais. O recurso que funciona bem com um filme independente, um drama intimista, ou algo do tipo, se perde quando em uma superprodução hollywoodiana de ação. Não que a escolha da câmera transforme o que seria uma obra-prima em uma bomba, mas muito se perde da qualidade que poderia ter.

Inimigos Públicos (Public Enemies, 2009, EUA)
Direção:
Michael Mann
Roteiro: Ronan Bennett Michael Mann
Elenco: Johnny Depp, Christian Bale, Marion Cotillard
140 Minutos.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: