Megamente (Megamind)

O cinema de animação reservou para 2010 dois malvados que encontram o seu lado bom, mas o favorito deve ser o astro de Megamente. No filme, dirigido por Tom McGrath, um dos responsáveis pelos dois Madagascar, o protagonista é o atrapalhado vilão extraterrestre que conta a sua jornada até se tornar o grande herói da cidade de Metro City. A trama se assemelha à Meu Malvado Favorito em mostrar o outro lado do malfeitor, mas leva vantagem pelo maior carisma de seu astro.

Nascido pouco antes de seu planeta explodir, Megamente foi mandado pelo espaço em uma capsula com seu servo, Criado, e juntos vieram parar na Terra. Tudo estaria bem não fosse a infelicidade de, no mesmo momento, outro planeta ter o mesmo fim, o que fez com que os pais de Metro Man também o mandassem para cá. Enquanto o herói caiu em uma mansão e foi criado com todo o carinho de uma família rica, o pobre bebê azul aprendeu desde cedo os caminhos do mal, ao cair com sua capsula em uma prisão.

Com a certeza de que seu destino é de ser o vilão, Megamente luta contra Metro Man e amarga grandes fracassos, até conseguir, milagrosamente, matar o herói. Depois de atingir seu objetivo, no entanto, ele percebe que sua vida não tem mais sentido e decide que encontrará outro arqui-inimigo. O problema é que o escolhido está mais interessado em ser o novo vilão da história. Aos poucos, Megamente percebe que fazer o bem ou o mal é apenas uma questão de escolha, não de destino.

O filme consegue algo raro nas animações atuais, que é ter uma narrativa que engloba todas as idades. Após a descoberta dos estúdios de que adultos poderiam ser boas fontes de renda para este tipo de filme, a apelação tomou conta das obras, sobrando para as crianças apenas se divertir com as imagens engraçadas enquanto pouco ou nada entendem da trama. Já aqui, as piadas não perdem seu lado pueril e, mesmo assim, agrada também aos mais crescidos.

E mesmo se o carisma do vilão/herói não fosse suficiente para encantar todos os públicos, o filme ainda conta com personagens tão atraentes quanto ele. Criado, um peixe alienígena que vive em um corpo de robô ciborgue é uma dessas surpresas e, provavelmente o que tem mais apelo infantil, chegando a lembrar o Mike Wazowski, de Monstros S.A. (2001). A repórter Rosane Rocha, interesse amoroso de vários personagens do filme também tem grande charme. E até mesmo o herói Metro Man guarda um certo mistério que enriquece a trama, colocando-a acima de muitos filmes de super-heroi.

Se o cinema em geral perdeu esta visão maniqueista do mundo, as animações também não ficam de fora. O próprio Monstros S.A. já ensaiava de forma disfarçada colocar um provável vilão como centro das atenções, mostrando que nem todo mundo o que parece ruim é de fato.Megamente, assim como Meu Malvado Favorito, no entanto, usa isto de uma forma bem mais clara, mostrando para as crianças desde cedo que há muito mais entre o bem e o mal do que julgava nossos antigos filmes.

Megamente (Megamind, 2010, EUA)
Direção:
Tom McGrath
Roteiro: Alan J. Schoolcraft e Brent Simons
95 Minutos

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: