Enterrado Vivo (Buried)

Para um filme de suspense dar certo não é preciso muito mais do que um cenário mínimo, um ator em frente às câmeras e efeitos sonoros. Pelo menos é a mensagem que Enterrado Vivo, do espanhol Rodrigo Cortés, tenta passar nas telas. O filme mostra o drama de Paul (Ryan Reynolds), que acorda em um caixão sem ideia de como pode sair dali. Além de Reynolds, apenas mais uma atriz, Ivana Miño aparece em cena, e toda ação acontece apenas entre o ator e seu telefone celular.

Paul Conroy é motorista de caminhão em uma das empresas americanas responsáveis pela reconstrução do Iraque. Durante um serviço, o comboio em que ele estava é atacado por cidadãos do país, que sem outra alternativa após a invasão dos EUA, se tornam terroristas e passam a sequestrar cidadãos do ocidente. Quando acorda, ele está preso dentro de um caixão e enterrado. Junto com ele, apenas um telefone celular, para que ele peça seu próprio resgate.

É difícil entender quem é o verdadeiro foco de ataque do filme, se os iraquianos, o governo americano que promoveu as invasões, ou o serviço telefônico atual, que, terceirizado na maioria das empresas, obriga seus usuários a falarem com máquinas e pessoas pouco preparadas. Em muitos momentos, tirando a o fato de que Paul realmente morrerá se não conseguir completar a ligação, o espectador do filme se sente totalmente identificado com o sofrimento do motorista, que tem que enfrentar este grande problema da modernidade.

Se a ideia do filme é boa, tanto que foi o roteiro vencedor do National Board of Review, que costuma acertar nas previsões para o Oscar, a realização deixou um pouco a desejar. Enterrado Vivo tem tudo para ser considerado um filme alternativo. Com cenário reduzido e ideia simples, o orçamento foi de apenas US$ 3 milhões. Um filme deste nível, no entanto, funciona melhor com um rosto desconhecido, ou acostumado a pequenas produções.

Mais do que fazer papel de Paul Conroy, o ator Ryan Reynolds interpreta o astro de cinema Ryan Reynolds. Ele não se encaixa no personagem e muitas vezes soa falso seu trabalho. Talvez por ter alguém que está tão acostumado a participar apenas de sucessos comerciais com pouca profundidade, o filme se arrasta em muitos momentos. Mesmo assim, grande parte dos 90 minutos em que acompanhamos Paul dentro do caixão já mostram que é sim possível criar um filme de suspense apenas com um ator e com um cenário mínimo.

Enterrado Vivo (Buried, 2010, EUA/Espanha)
Direção:
Rodrigo Cortés
Roteiro: Chris Sparling
Elenco: Ryan Reynolds
95 Minutos

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: