Incêndios (Incendies)

A vida de uma pessoa não começa com o seu nascimento, assim como também não termina com a sua morte. Pelo menos é o que mostra o candidato canadense ao Oscar de melhor filme estrangeiro, Incêndios, que chega aos cinemas brasileiros no mesmo fim de semana em que acontece a premiação. Quarto longa do diretor Denis Villeneuve, o filme parte de uma premissa simples para entrar em uma dura busca pela origem e, consequentemente, pela identidade de dois irmãos após a morte de sua mãe, remexendo em feridas que eles sequer imaginavam que um dia haviam sido abertas.

Depois da misteriosa morte de Nawal, seus filhos, os gêmeos Simon e Jeanne, acompanham a leitura de seu testamento. No texto, a mãe revela duas grandes surpresas, ao mesmo tempo em que lhes dá duas missões. Eles terão que encontrar o irmão, que nem sabiam que existia, além do próprio pai, que achavam estar morto, e entregar a cada um deles uma carta. Apenas quando realizarem esses pedidos, ela poderá descansar em paz e em seu túmulo poderá ser grafado o seu nome. Para realizar, no entanto, ela não deixa qualquer pista, cabendo aos filhos descobrir de onde irão partir para fazer suas descobertas.

Enquanto Simon acha que esta é apenas mais uma excentricidade da mãe, e não dá qualquer atenção ao que está no testamento, Jeanne decide aceitar o desafio. Assim, ela sai do Canadá e vai para o Oriente Médio, de onde sua mãe veio, em busca de mais informações sobre ela e seu pai. À medida em que vai se encontrando com o passado de Nawal, ela vai percebendo que muitos segredos rondavam a vida desta mulher, que ela acreditava conhecer tão bem. Quanto mais fundo vai em sua investigação, mais descobre os sacrifícios que a mãe fez, e como isto afetou a vida dos dois irmãos.

A busca pela origem acaba se tornando uma busca pela própria identidade, tanto de Jeanne quanto de seu irmão, que se une após perceber o universo de novidades estão surgindo destas missões. Porém, é senso comum que remexer o passado traz novas dores, ao mesmo tempo que também pode livrar de velhos problemas. É possível fazer o paralelo com histórias de nações, em que enquanto alguns preferem esquecer do que aconteceu e tocar a vida com a dúvida, como Simon, outros tentam descobrir as raízes de seus problemas, suportando as consequências em prol de um futuro mais claro, como faz Jeanne.

O início do filme já mostra a força das imagens do cineasta canadense, com uma cena que traz forte carga sentimental ao unir belos enquadramentos, boas atuações e uma música de impacto, mesmo sem qualquer informação sobre o que está acontecendo. Não apenas o roteiro – adaptado de uma peça teatral de Wajdi Mouawad – é bem construído, mas a habilidade com a câmera e com os sons também fazem a diferença para Incêndios. Não são raros os momentos em que, apesar de seus deslizes, o espectador se flagra admirando a beleza plástica do filme, que se encaixa com sutileza com a trama.

Para contar a sua história, Villeneuve entra em assuntos polêmicos, como a intolerância religiosa, o preconceito, o machismo, mas sem perder o seu foco. O cineasta divide Incêndios em dois. No primeiro, Jeanne e Simon fazem suas buscas. No segundo, Nawal vive aquilo que os irmãos um dia terão de descobrir. A junção das duas histórias marcam a força do longa-metragem de mais de duas horas de duração, que pouco a pouco mostra para o espectador a dureza de uma vida e como é possível apagar qualquer tipo de mágoa através do tempo.

Incêndios (Incendies, 2010, Canadá/França)
Direção:
Denis Villeneuve
Roteiro: Denis Villeneuve e Wajdi Mouawad
Elenco: Lubna Azabal, Mélissa Désormeaux-Poulin e Maxim Gaudette
130 Minutos

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: