Loup – Uma Amizade para Sempre (Loup)

Talvez a metáfora mais simplista para falar sobre a confiança é através da relação com lobos. Há séculos o animal é colocado em contos para demonstrar os riscos ou vantagens de se confiar em quem está ao seu lado. Não é surpresa, então, que Loup – Uma Amizade para Sempre, primeiro longa-metragem do francês Nicolas Vanier, que tem o bicho como um dos personagens principais, também fale sobre o mesmo tema.

Membro de uma comunidade nômade da Sibéria, o jovem Sergeï sabe desde pequeno que um dos maiores inimigos que pode ter é o lobo, predador das renas que dão sustento ao seu clã. Esta certeza lhe é colocada a cada dia, até que ele recebe a maior honraria que pode ter, o de ser responsável por zelar pelas renas durante o inverno, período em que o ataque dos lobos é mais frequente. O papel é tão importante que ele até deixa de lado a bela Nastazya, que veio visitar seu clã para vê-lo.

Sozinho nas montanhas, Sergeï logo percebe a presença dos predadores. Antes de matá-los, porém tenta observá-los mais de perto, e é quando ele vê que o lobo que aparentava ser um inimigo, é a mãe de quatro pequenos filhotes. Comovido com a família, o jovem decide não apenas deixá-los vivos, mas passa a proteger os lobos, mentindo para sua família e para o seu clã. À medida que o tempo passa, no entanto, os filhotes vão crescendo, até chegar a hora que Sergeï fica entre as tradições que lhe foram ensinadas e o amor que sente pelos animais.

Como o nome já deixa subentendido, Loup – Uma Amizade para Sempre tenta uma fórmula fácil para conquistar o público pelo lado emocional, mesmo que não seja um enlatado norte-americano. Ao contrário, falado em francês e realizado na Sibéria, o longa tem uma estrutura mais próxima de um chamado filme de arte do que de um sucesso comercial, mesmo que não seja nem uma coisa e nem outra. Acaba, então que o filme consegue pouca atenção de qualquer um dos públicos.

Mesmo com suas qualidades, o filme peca por ser pueril demais. Com diálogos artificiais, o filme perde a naturalidade que seria tão fácil por ser uma história distante do grande público. Talvez até por isso, então, é difícil se conseguir uma simpatia com os protagonistas, sejam eles Sergeï e Nastazya ou os próprios lobos. Mesmo as crianças, que poderiam apreciar mais a obra, podem não se animar em vê-la, já que é um filme lento, com grandes planos e tomadas, bem diferente do que os jovens estão acostumados pela influência da televisão.

Não que o filme seja ruim, Loup é uma bela história de como podemos errar em confiar, ou em deixar de confiar em alguém, e que é muito difícil escolher com quem se pode contar. Porém, o filme parece não funcionar tão bem. Com cenários muito bonitos, o enredo parece ser superficial demais, não há qualquer profundidade na trama. Desta forma, não se permite qualquer espaço para estabelecer uma confiança na relação filme-espectador, o que acaba fragilizando o resultado final.

Loup – Uma Amizade para Sempre (Loup, 2009, França)
Direção:
Nicolas Vanier
Roteiro: Nicolas Vanier
Elenco: Nicolas Brioudes, Pom Klementieff e Min Man Ma
102 Minutos

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: