Posts Tagged ‘ Christian Bale ’

O Vencedor (The Fighter)

Há aqueles filmes que só de ver o poster e o título já fica fácil prever qual a história e já se tem a certeza do final. Geralmente acontece com obras de superação, que trazem alguma lição moral em seu final previsível, mas emocionante, e que levam o espectador a pensar sobre os caminhos que a sua própria vida está tomando. Mesmo que O Vencedor, de David O. Russell, se encaixe nesta descrição, o filme ainda traz qualidades que fazem valer a pena ser visto, como a assustadora interpretação de Christian Bale.

Desde pequeno Micky Ward (Mark Wahlberg) teve em casa o melhor professor de boxe que poderia. Irmão do famoso Dickie Eklund (Christian Bale), o jovem aprendeu os macetes de esporte mesmo antes de ter idade para decidir se queria ou não lutar. Depois de adulto, porém, ele não consegue ter sucesso em cima dos ringues. Treinado por Dickie e empresariado por sua mãe, Alice (Melissa Leo), parece que Micky sempre está em uma luta para perder, e já não tem mais disposição de seguir sua carreira.

Mais do que sua família, a mãe e o irmão dominam a vida de Micky. Conhecido por ter nocauteado o campeão Sugar Ray Leonard em um lance duvidoso, Dickie vive como um adolescente com sua turma de amigos, que se preocupam mais em beber ou usar crack do que em ter uma vida condizente com suas idades, que já passam dos 40 anos. Quando Micky conhece a jovem garçonete Charlene (Amy Adams), seu destino começa a mudar. Ao lado dela, ele consegue dizer não para a família e tentar a sorte na carreira por conta própria. Sem os problemas que a mãe e o irmão podem trazer, ele tem mais chances no esporte, mesmo já sendo considerado velho para lutar.

Quando começou a produção, Darren Aronofsky era o nome cotado para a direção. A mudança para Russell se mostrou acertada, já que Aronofsky fez em 2008 seu O Lutador, bastante semelhante com esse. Se em seu filme era mostrada a superação do ator Mickey Rourke, desta vez quem se destaca são mesmo os personagens reais Dickie e Micky, principalmente do primeiro, brilhantemente representado nas telas pelo camaleônico Bale. Difícil imaginar que aquele sujeito magro e debochado é também o atual Batman dos cinemas.

Mesmo sendo coadjuvante, Bale é quem segura O Vencedor e o ajuda a torná-lo um grande filme. Até quem já viu o ator em seus mais diversos papéis ainda se surpreende com o que ele é capaz de fazer com seu corpo e em suas interpretações. Se ele não chega a estar tão magro como quando fez O Maquinista, a forma como vive seu papel lhe dá uma aparência ainda menos saudável. Os mais céticos, que podem achar exagerado o trabalho de Christian, percebem o erro nas cenas finais, em que o verdadeiro Dickie aparece na tela e mostra que não teve nada na atuação que destoe do personagem.

No geral, não há novidades no filme em relação ao que já foi feito antes em outros trabalhos sobre superação, salvo a surreal família dos lutadores, com suas irmãs que parecem saídas da versão norte-americana de algum filme de Fellini. O Vencedor, como o próprio personagem de Mark Wahlberg, parece uma obra de pouca importância, que se mostra fraca, sem chances de se dar bem, mas que apenas está guardando suas energias para dar ao espectador um final triunfante. Clichê, mas triunfante, e que vale a pena ser visto.

O Vencedor (The Fighter, 2010, EUA)
Direção:
David O. Russell
Roteiro: Scott Silver e Paul Tamasy
Elenco: Mark Wahlberg, Christian Bale e Melissa Leo
115 Minutos

Inimigos Públicos

Para contar a história de um dos mais procurados gangsteres norte-americanos, o diretor Michael Mann, de Ali e Miami Vice, ousou em buscar novos recursos de fotografia, filmando em digital. Mesmo sendo um filme de época, o que poderia criar certo estranhamento do espectador, Inimigos Públicos foi captado por câmeras de alta definição em um projeto inédito. O resultado, porém, ficou bem aquém do que poderia ter sido obtido com uma câmera 35 milimetros.

A história ainda prende a atenção, mesmo em seus 140 minutos de filme. John Dillinger, interpretado por Johnny Depp em um de seus poucos papéis realistas, é um grande ladrão de bancos procurado pela agência de investigação comandada por J. Edgar Hoover, que até então, nos anos 30, ainda não é o famoso FBI. O criminoso, que aprendeu tudo o que sabe em nove anos que passou na prisão, era o terror dos bancos, mas um herói para a população norte-americana na época. Após a crise de 29, o povo culpava as instituições financeiras pelo caos. Ao mesmo tempo, Dillinger se negava a roubar de civis, apenas destes grandes bancos.

Conquistando a simpatia do povo, aliado a sua inteligência, o gangster era praticamente intocável. Nas poucas vezes em que era pego pelos policiais conseguia escapar com certa facilidade, para total desagrado de seu arquiinimigo, o agente Melvin Purvis, papel de Christian Bale. Enquanto foge do encarregado pela inteligência de Chicago, Dillinger conquista o coração da jovem Billie, uma moça simples e rejeitada pela sociedade, vivida por Marion Cotillard. A paixão entre os dois, apesar de humanizar ainda mais o personagem, indica sua maior fraqueza.

Na verdade, não era bem assim que as coisas aconteciam. A vida não é um filme, Dillinger não era tão santo quanto nas telas, e Purvis também não tão bem cotado. As liberdades poéticas acontecem a todo momento. No longa, Melvin é designado a prender Dillinger após matar um grande gangster, Pretty Boy Floyd, que na vida real morreu depois do próprio Dillinger. Este e outros casos que diferem da realidade, acabam não prejudicando o entendimento do personagem e da consolidação do FBI, apesar de esta história ficar como um pano de fundo praticamente distante.

O problema vem mesmo com as imagens que Inimigos Públicos apresenta. Com câmeras digitais, e a liberdade de movimentos que elas proporcionam, o filme chega a assemelhar imagens documentais, ou até mesmo às amadoras dramatizações comuns em programas jornalísticos policiais. O recurso que funciona bem com um filme independente, um drama intimista, ou algo do tipo, se perde quando em uma superprodução hollywoodiana de ação. Não que a escolha da câmera transforme o que seria uma obra-prima em uma bomba, mas muito se perde da qualidade que poderia ter.

Inimigos Públicos (Public Enemies, 2009, EUA)
Direção:
Michael Mann
Roteiro: Ronan Bennett Michael Mann
Elenco: Johnny Depp, Christian Bale, Marion Cotillard
140 Minutos.

%d blogueiros gostam disto: