Pina

Por não ter palavras para expressar aquilo que pensou e sentiu, foi com a arte, mais precisamente com a dança, que a coreógrafa alemã Pina Bausch se expressou para milhares de pessoas. Na ausência de palavras de sua homenageada, o também alemão Wim Wenders, um dos maiores nomes do cinema atual, também se apropriou da dança para mostrar a seu público, ainda mais amplo, quem é esta mulher.

A partir de alguns poucos espetáculos de Pina, Wenders coloca na tela a emoção que até então estava restrita aos palcos onde se apresentavam a sua companhia de dança. Com trechos das peças e cenas dos bastidores, o espectador leigo ou mesmo aquele já acostumado com o mundo da dança, penetra neste universo e conhece melhor o que Pina sentiu, o que ela colocou de sua alma naquelas coreografias.

Se foi opção de Pina não usar as palavras, Wenders não precisou ser fiel a isto. Assim, as usa para complementar aquilo que vemos na tela, dando voz àqueles que compartilharam dos últimos anos de vida da coreógrafa morta em 2009, seus bailarinos, da Tanztheater Wuppertal Pina Bausch. E é pelas palavras deles que o público junta as peças e pode entende melhor o que significa cada cena que viu, percebendo logo que não é mesmo necessário palavras quando se quer entrar no coração de alguém.

Para colocar o público mais próximo de Pina, Wim Wenders opta pelo 3D. A tecnologia, que tem nos filmes de ação estadunidenses seu uso à exaustão, ganha neste documentário alemão de arte seu melhor uso. Enquanto Hollywood errou ao trazer cenários e personagens para perto do público, Wenders leva o espectador para dentro de sua obra. Logo que começa Pina, a sala de cinema se transforma em um auditório, com um grande palco onde serão apresentadas as danças coreografadas por Pina. A tela não está mais ali. Público e filme é uma coisa só.

Não foi sozinho que Wenders desenhou a produção do filme, mas com a ajuda da própria Pina, sua amiga desde 1985 quando o diretor assistiu a Café Müller, um de seus espetáculos mais conhecidos. Pouco antes do início das filmagens, no entanto, a coreógrafa faleceu apenas cinco dias após diagnosticar um câncer. Na falta de sua parceira para a obra, Wim Wenders transformou o que seria apenas um simples documentário em uma ode à Pina Bausch.

 

Assista ao trailer:

Pina (2011, Alemanha)
Direção:
Wim Wenders
Roteiro: Wim Wenders
103 Minutos

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: